Histórico


O Campus Avançado de Pau dos Ferros foi criado pelo Decreto Nº 15/76, de 26 de setembro de 1976, sancionado pelo prefeito municipal de Mossoró Jerônimo Dix-Huit Rosado Maia, com o objetivo de instalar o Ensino Superior na região do Alto Oeste Potiguar.

Para concretização deste objetivo, as primeiras iniciativas são efetivadas por expressivas lideranças da sociedade local, sendo reforçado pelo apoio dos professores comprometidos com a expansão do ensino universitário na região.

O primeiro grupo de trabalho para análise das condições objetivas de desenvolvimento das atividades de ensino superior chega a Pau dos Ferros em 01 de maio de1976. Nessa visita, foram observados os prédios escolares e as bibliotecas, centralizando essas ações na Escola Estadual “31 de Março” (atual Escola Estadual “Dr. José Fernandes de Melo”). Esse grupo de trabalho, em suas conclusões, considera a cidade de Pau dos Ferros um pólo de desenvolvimento, em função do seu espaço geográfico, econômico e cultural se constituir num indicador de tendências e perspectivas de crescimento. Dadas essas características, esse grupo propõe à Universidade a criação de cursos nessa cidade, como forma de dinamizar o desenvolvimento da região do Alto Oeste Potiguar.

A luta pela implantação da Universidade nesta região atende aos anseios da sociedade pauferrense e também ao projeto político-social de expansão da URRN. Assim, em 19 de dezembro de 1976, foi oficialmente instalado o Campus Avançado de Pau dos Ferros, com os cursos de Letras, Pedagogia e Ciências Econômicas.

O primeiro vestibular ocorrido em janeiro de 1977, contava com 234 (duzentos e trinta e quatro) candidatos que preencheram 135 (cento e trinta e cinco) vagas distribuídas na ordem de 45 (quarenta e cinco) por curso.

O espaço físico para o funcionamento esteve disperso em várias escolas da cidade até o início do segundo semestre de 1983, quando foi inaugurada a sua sede própria, contando com uma instalação inicial de 13 (treze) salas de aula, além das dependências administrativas. A Biblioteca foi construída em 1986, na administração de Pe. Sátiro Cavalcanti Dantas, recebendo, inclusive, o seu nome. A ampliação da estrutura física do Campus ocorreu na gestão do Prof. Antonio de Farias Capistrano, quando foram construídas 03 (três) salas para funcionamento das administrações acadêmicas dos cursos, 01 (uma) sala para as habilitações de Pedagogia e 01 (um) auditório com capacidade para 200 (duzentas) pessoas.

Estava assim consolidada a presença física do Campus de Pau dos Ferros, embora com uma estrutura administrativa bem dependente, respaldada numa centralização financeira e pedagógica que, aliada ao quantitativo de cursos oferecidos e de professores, justifica uma ausência durante vários anos, de uma vida departamental de fato.

A sua estrutura organizacional só veio a ser regulamentada através da reformulação do Estatuto e do Regimento Geral da UERN, que passara a referir-se em parte especial aos Campi Avançados.

As lutas que se seguiram para legitimação de suas ações tiveram um espaço significativo quando o Campus vivenciou juntamente com a FURRN e seus segmentos acadêmicos o processo de estadualização consolidado em 1987, através da Lei Nº 5.546, de 08 de janeiro de 1987, e o reconhecimento dessa instituição pelo Conselho Federal de Educação, em 15 de agosto de 1993.

O Campus Avançado de Pau dos Ferros, através da Portaria Nº 1.912/95 GR – FURRN, de 22 de dezembro de 1995, passou a ter a denominação de Campus Avançado “Profª. Maria Elisa de Albuquerque Maia” (CAMEAM), em homenagem a sua primeira coordenadora.

Na sua vida acadêmica, o CAMEAM procura nortear-se pelo propósito de desenvolver um ensino de boa qualidade. Esse propósito reflete ações pedagógicas para o desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão, como também o investimento na capacitação docente. Isto se reflete também na oferta de vários cursos de Pós-Graduação Lato Sensu, tais como Especialização em Desenvolvimento Regional e Planejamento Territorial, e Especialização em Políticas Públicas e Desenvolvimento, vinculadas ao Departamento de Economia (DEC); Especialização em Formação do Educador, Educação de Jovens e Adultos e Educação e Linguagens para a Multiculturalidade, ligadas ao Departamento de Educação (DE); a Especialização em Gerenciamento de Serviços de Saúde, vinculada ao Curso de Enfermagem (CEN); as Especializações em Língua Inglesa, Linguística Aplicada, Ensino e Aprendizagem de Língua Espanhola, vinculadas ao Departamento de Letras Estrangeiras (DLE); Especialização em Literatura e Estudos Culturais e em Literatura Infanto-juvenil, vinculadas ao Departamento de Letras Vernáculas (DLV). Ao Departamento de Letras Estrangeiras (DLE), está também vinculada a oferta de um curso de Pós-graduação Stricto Sensu, o mestrado acadêmico em Letras e, ao Departamento de Letras Vernáculas, está vinculado o Curso de Mestrado Profissional em Letras.

Ainda na dimensão da pesquisa, o CAMEAM conta com a atuação de vários grupos e núcleos, a saber:

  1. Núcleo de Estudos Organizacionais do Alto Oeste Potiguar (NEOP), do Curso de Administração (CAD);

  2. Núcleo de Estudos em Desenvolvimento Sustentável da Microrregião do Alto Oeste Potiguar (NUDESP) e Núcleo de Estudos em Economia Política do Desenvolvimento (NEEPOD), do Departamento de economia (DEC);

  3. Grupo de Pesquisa Educação Física, Sociedade e Saúde (GREFS), do Curso de Educação Física (CEF);

  4. Grupo de Pesquisa Enfermagem e Saúde das Populações (GRUPESCES), do Curso de Enfermagem (CEN);

  5. Núcleo de Estudos de Geografia Agrária e Regional (NUGAR), Grupo de Pesquisa em Espaço, Ensino e Ciências Humanas (GEPEECH) e Núcleo de Estudos Geoambientais e Cartográficos (NEGECART), do Curso de Geografia (CGE);

  6. Grupo de Estudos Críticos da Literatura (GECLIT), Grupo de Estudos do Discurso (GRED), Grupo de Pesquisa em Produção e Ensino de Textos (GPET), Literaturas Estrangeiras e Comparadas (LEC), Grupo de Estudos da Tradução (GET), Grupo de Pesquisa em Literaturas de Língua Portuguesa (GPORT) e Estudos Aplicados em Línguas Estrangeiras (EALE), do Departamento de Letras Estrangeiras (DLE);

  7. Grupo de Pesquisa em Estudos Funcionalistas (GPEF), Grupo de Pesquisa em Produção e Ensino de Textos (GPET) e Grupo de Pesquisa em Literaturas de Língua Portuguesa (GPORT), do Departamento de Letras Vernáculas (DLV).

Na dimensão da extensão, este Campus Avançado sempre foi marcado pelo empenho de atender às necessidades sociais e culturais da região do Alto Oeste Potiguar. Para tanto, dispõe de vários projetos à disposição da comunidade, vinculados a Programas de Extensão. O Departamento de Educação desenvolve o Programa Biblioteca Ambulante e Literatura na Escola (BALE) e o Programa Educação Interpessoal e Trabalho Colaborativo. Há, também, os seguintes Núcleos de extensão: Núcleo de Ensino de Cultura, Literatura e Língua Inglesa (NECLLI) e Núcleo de Ensino de Cultura, Literatura e Língua Espanhola (NECLE), do Departamento de Letras Estrangeiras; Núcleo de Ensino de Cultura, Literatura e Língua Portuguesa (NECLEP), do Departamento de Letras Vernáculas; e Núcleo de Educação em Direitos Humanos (NUEDH), do Departamento de Educação.


Universidade do Estado do Rio Grande do Norte - UERN
Campus Avançado de Pau dos Ferros, BR 405, KM 3, Arizona - Pau dos Ferros/RN | 59900-000 | dle_pferros@uern.br | (84) 3351-2560
© 2012 Agência de Comunicação da UERN - AGECOM | agecom@uern.br | 84 3315-2144 / 3315-2115 | Sistema de Controle de Páginas

^